Blog

Confira as últimas postagens de artigos do nosso blog.

As 6 tendências para vendas online no varejo alimentar

O segmento do varejo alimentar possui características bastante peculiares quando comparado aos demais segmentos do varejo. O mesmo ocorre quando pensamos em um supermercado online. As estratégias e operações desse segmento, portanto, também são diferentes de um ecommerce tradicional.


A manipulação de uma grande quantidade produtos, em uma mesma compra, com as mais diversas características, tais como formatos, temperatura de armazenamento, vida útil e restrições de embalagem para determinados itens exigem uma logística muito bem preparada para vender online itens de supermercado. Por exemplo, se você carregar um pacote de cervejas em cima de uma caixa de morangos, você acabará entregando a seu cliente algo que provavelmente não era bem o que ele tinha em mente.


Hoje 15% dos brasileiros dizem fazer compras de produtos de supermercado pela internet. Porém, fora dos grandes centros os consumidores praticamente não têm acesso ao supermercado online. Então, como atender à demanda de quem quer fazer as compras do supermercado pela internet? Conheça por meio deste artigo as principais tendências para vendas online no varejo alimentar e ganhe vantagem competitiva.



Familiarização com as compras online de alimentos e bebidas


Embora ainda tenha margem para bastante crescimento, itens de Alimentos e Bebidas apresentaram crescimento de 23% no ticket médio em vendas online de bens de consumo  na comparação entre 2018 e 2017, segundo a 39ª edição do WebShoppers, da Ebit.


Ou seja, o brasileiro está cada vez mais se familiarizando com a comodidade, praticidade e agilidade com as compras de supermercado pela internet. O consumidor se dá conta de que não precisa mais enfrentar filas, congestionamento e dificuldade em estacionar para abastecer sua casa.



Retirada na loja física


Também chamada de click and collect (clicar e coletar, numa tradução livre do inglês), essa modalidade é considerada o próximo passo do ecommerce para quem gosta da comodidade de comprar pela internet porém não abre mão da gratificação imediata, ou seja, quer ter acesso às compras em um prazo curto de tempo, de poucas horas.


O serviço de retirada em loja também permite que o cliente compre os itens mais básicos e use seu tempo na loja para comprar os produtos que ele mesmo deseja escolher, como carnes e hortifruti.


Importante: se o seu supermercado trabalhar com esse tipo de serviço, lembre-se de oferecer espaço exclusivo no estacionamento. Além de maior comodidade para o cliente, este espaço também servirá de um “ponto de marketing” para sua operação digital.



Entregas imediatas 


Quem nunca interrompeu o preparo de uma receita para correr até o supermercado e comprar um ingrediente que não tinha em casa? Não é só mas também pra isso que servem as empresas de entrega chamadas de “delivery de tudo”. Em parceria com os supermercados, essas empresas de entrega rápida ajudaram a impulsionar as vendas de alimentos e bebidas online.


Para um supermercado, a desvantagem desse modelo de vendas é que o cliente passa a ser das empresas de entregas rápidas. Sem acesso aos dados desses consumidores, o supermercado acaba tendo dificuldade para se aproximar, engajar e até mesmo fazer ofertas e promoções de produtos conforme comportamento ou preferências deles.



Crescimento das vendas online via mobile


As vendas via smartphone – também chamadas de mobile commerce (ou simplesmente mcomemrce) – vêm apresentando números cada vez mais impactantes nos negócios consolidados por vias online. Para se ter uma ideia, o faturamento do e-commerce no Brasil cresceu 12% em 2018 na comparação com o ano anterior, quanto o faturamento registrado via mcommerce foi 41% superior no mesmo período. Quer mais? Quatro em cada dez compras feitas pela internet no país em janeiro de 2019 aconteceram por meio de dispositivos móveis.


O mesmo ocorre para as vendas de supermercado. Hoje as vendas através de aplicativos já representam mais de 50% para as redes que oferecem essa modalidade a seus clientes.


No entanto, é importante observar que o consumidor também deve ter a opção de comprar produtos de supermercado através de site, isto é, uma versão para desktop. E não só por meio de aplicativos. O site ainda é um expressivo canal de vendas para o varejo.



Experiência Omnichannel


Pode ser por necessidade ou por impulso. Seja qual for a razão que levou seu cliente a realizar uma compra, seu supermercado precisa estar preparado para ser omnichannel. Isso significa que você terá de atendê-lo e oferecer uma experiência de compra de alta qualidade no canal que o consumidor considerar mais cômodo e eficiente pra ele no momento que ele decide comprar.


Pesquisas do varejo apontam que um cliente omnichannel compra duas vezes mais do que um cliente que tem compram apenas por um único canal (Loja física ou loja online). Sendo assim, a recomendação é permitir que seu público possa comprar, claro, na loja física e também no site ou aplicativo (app). Como exemplo, podemos citar um cliente que recebe uma oferta em seu aplicativo. Ele poderá tanto ir à loja comprar o produto quanto fazer a compra pelo site ou próprio aplicativo, caso não possa se deslocar até a loja física.


Ao atender em diversos canais, o supermercado amplia as possibilidades de venda em diferentes momentos da jornada do cliente.



Personalização das ofertas


O comércio pela internet permitiu aos lojistas realizarem ofertas cada vez mais segmentadas, conforme perfil, comportamento e hábitos dos seus públicos. Como consequência, os clientes estão cada vez mais exigentes e à procura de produtos de nicho que fazem sentido para si.


Quanto mais adequada for a oferta, maiores as chances de o consumidor comprar e você fidelizá-lo. Portanto a orientação é para você conhecer melhor seu cliente e as motivações que o leva a comprar. Desse modo é possível prever o padrão de consumo em seu supermercado e oferecer sugestões de compras mais alinhadas com expectativas e necessidades do seu público.



A busca pela conveniência e pela maior variedade de produtos e preços sem abrir mão da qualidade são combustíveis que irão impulsionar cada vez mais consumidores a realizar as compras de supermercado pela internet. No entanto, apenas uma plataforma de ecommerce para supermercado completa consegue reunir tantos serviços, desde o controle e separação dos pedidos, da logística de entrega e devolução até o faturamento sem precisar ocupar um PDV.Seu supermercado está preparado para oferecer essa experiência de compra a seus clientes? Fale com nossos consultores e entenda como podemos te ajudar.


31 outubro 2019
VER MAIS
Como criar um supermercado online?

Conheça 6 pontos fundamentais para começar uma operação de venda pela internet em seu supermercado


Fazer as compras de produtos de supermercado sem sair de casa. Atualmente, esta tem sido a opção para 15% dos consumidores brasileiros que preferem usar a loja virtual. É o que aponta a pesquisa Tendências do Consumidor em Supermercados 2018/2019, da Associação Paulista de Supermercados (APAS), conduzida pelo IBOPE Inteligência.


Esse índice é um pouco maior (16%) quando falamos da classe C1 e chega a 19% na classe A, mas poderia ser ainda maior se mais supermercados pelo Brasil oferecessem aos consumidores a possibilidade de compras online via site ou aplicativo. Ou seja, ainda há uma grande demanda não sendo atendida por falta de acesso a supermercados online.


Entre as razões que levam esses consumidores a uma plataforma de ecommerce de supermercado estão:
– 68% diversidade de produtos
– 67% percepção de que preços online são mais em conta
– 57% facilidade para comparar preços
– 49% percepção de que encontra sempre o que procura


Seu negócio já está preparado para atender essa crescente demanda de inovação no varejo? Neste artigo você irá saber os principais pontos para implementar novas tecnologias e começar a operação do seu supermercado online.



O que você precisa saber para criar seu supermercado online?


A implementação de uma plataforma online para supermercados traz benefícios que justificam o investimento de tempo, dinheiro e planejamento. Confira agora as principais etapas desse processo:



1. O tamanho do seu varejo importa?


Antes de começar, é importante esclarecer: Adotar uma plataforma de ecommerce para seu mercado não exige altos investimentos. Desse modo, a transformação digital da maneira como se vende produtos aos clientes está disponível não apenas para as grandes redes, mas também para pequenos e médios varejistas.



2. Escolha uma plataforma de e-commerce


O primeiro passo é você decidir com qual plataforma de e-commerce irá trabalhar. Tenha como premissa uma plataforma que seja aderente ao varejo alimentar e que te dê segurança para o crescimento da sua operação. Mais que isso, a tecnologia que irá sustentar a operação online do seu mercado precisa ser completa e focada em todo o processo, não apenas na geração do pedido. Portanto, certifique-se de que a sua plataforma de e-commerce também seja uma solução para o controle e separação dos pedidos, da logística de entrega e devolução, bem como do faturamento sem precisar ocupar um PDV.



3. Planeje custos e foque na qualidade das entregas


Como todo bom gestor, você também terá de planejar os custos da operação de delivery, otimizando o número de profissionais envolvidos nessa logística e as rotas para evitar deslocamentos desnecessários e fazer o maior volume de entregas a cada viagem. Para te auxiliar nesse planejamento, escolha uma plataforma de e-commerce que permita fazer o controle desse trabalho de maneira integrada.
Você também deverá levar em consideração o que é mais vantajoso: contar com operação própria ou terceirizada para fazer as entregas? Seja qual for a sua decisão, aqui vai uma dica: O seu entregador será o único ponto de contato físico com a sua marca, então, é importante que ele seja treinado e qualificado para garantir o alto padrão de qualidade que você atende os seus clientes em sua loja física.

4. Ofereça diferentes meios de pagamento


É importante que seu e-commerce não limite seus clientes na hora do pagamento. Portanto, ofereça diferentes formas de pagamento, tais como cartão de crédito ou débito, dinheiro, vale alimentação, entre outros, e deixe que o cliente escolha o mais conveniente para ele. Acredite: isso facilita a venda e atrai o cliente para o seu e-commerce.



5. Você deve ter um site ou aplicativo? Ambos!


Novamente, você deve oferecer ao cliente o que é mais conveniente para ele. Para alguns clientes o melhor será comprar através do site, para outros será pelo celular. O importante é que ele tenha a opção e que você não deixe vendas para trás.
Devido à agilidade e praticidade, os smartphones são ferramentas essenciais ao crescimento do comércio online. Sete em cada dez consumidores utilizam smartphones para fazer compras pela internet, de acordo com estudo da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). E os aplicativos são o grande canal de vendas dos smartphones e por isso é fundamental que você tenha um APP com a sua marca! Mas lembre-se: se o cliente não quiser instalar o aplicativo, ele deve ter a opção de fazer compras via site responsivo, que oferece melhor experiência de navegação e de compra independente do tamanho da tela do dispositivo utilizado.

6. Invista na divulgação do seu supermercado online


A estratégia de marketing para o e-commerce é diferente da estratégia para loja física. Especialmente no ambiente digital, onde o consumidor é bombardeado com ofertas e exige atendimento imediato, seus esforços de marketing devem ser focados nas necessidades dos seus clientes e não em ofertas de massa. O objetivo é mostrar que você conhece o seu cliente e que se comunica com ofertas relevantes para ele.
Canais digitais como e-mail, redes sociais e SMS são importantes para a promoção da sua loja online, mas o canal com maior conversão é o seu próprio APP através das notificações.

Plataforma de e-commerce para seu supermercado: muito mais que só uma loja virtual


Algumas empresas limitam a criação de um supermercado online a uma loja virtual, colocando no ar um site ou aplicativo, quando, na verdade, conforme vimos ao longo deste artigo, trata-se de um projeto mais amplo e que demanda uma atenção maior na hora de executar.


Um desafio que, quando bem implementado, torna-se mais uma excelente opção para aumentar o faturamento. Além, claro, de ser um grande diferencial competitivo.


E, então, você e seu supermercado estão preparados para começar a vender online?


14 outubro 2019
VER MAIS